Shape Image One
cdgutierrezlc-1619133342509-cathopic

Uma só morte redentora, uma só ressurreição dos mortos

Do Livro de São Basílio Magno, bispo, sobre o Espírito Santo
(Cap. 15, 35: PG 32, 127-130) (Sec. IV)

A economia da salvação de Deus nosso Salvador consiste em levantar o homem da sua queda e fazê-lo voltar à intimidade divina, libertando-o da alienação a que o levara a desobediência. A vinda de Cristo segundo a carne, o exemplo da sua vida evangélica, a paixão, a cruz, a sepultura e a ressurreição não tiveram outro fim senão salvar o homem, para que ele, imitando a Cristo, recuperasse a primitiva adopção filial.

Portanto, para atingir a vida perfeita, é necessário seguir a Cristo, não apenas nos exemplos de mansidão, humildade e paciência que nos deu durante a sua vida, mas também na sua própria morte, como diz São Paulo, o imitador de Cristo: Assemelhando-me a Ele na sua morte, para ver se posso chegar à ressurreição dos mortos.

Mas como poderemos assemelhar-nos a Cristo na sua morte? Sepultando-nos com Ele pelo Baptismo. Em que consiste esta sepultura e qual é o fruto desta imitação? Antes de mais, trata-se de cortar com a vida passada. Mas ninguém pode conseguir isto, se não renascer de novo, segundo a palavra do Senhor, porque o renascimento, como o nome indica, é o começo de uma vida nova. Por isso, antes de começar esta vida nova, é necessário pôr fim à antiga. Assim como no estádio, aqueles que chegam ao fim da primeira parte da corrida costumam ter uma pequena pausa e descanso antes de iniciar o regresso, do mesmo modo era necessário que nesta mudança de vida interviesse a morte, pondo fim ao passado para começar novo caminho.

E como podemos imitar a Cristo na sua descida à região dos mortos? Imitando pelo Baptismo a sepultura de Cristo. Porque o corpo dos baptizados fica de certo modo sepultado na água. Por isso o Baptismo simboliza a deposição das obras da carne, segundo as palavras do Apóstolo: Fostes circuncidados com uma circuncisão que não é feita pela mão dos homens, tendo-vos despojado do corpo mortal pela circuncisão de Cristo, sepultados com Ele no Baptismo.

Ora o Baptismo purifica a alma das manchas que nela se acumularam por causa das tendências carnais, segundo o que está escrito: Lavai-me e ficarei mais branco do que a neve. Por isso reconhecemos um só Baptismo salvador, já que é uma só a morte que resgata o mundo e uma só a ressurreição dos mortos, das quais é figura o Baptismo.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on print
Print
© Instituto Diocesano da Formação Cristã (IDFC) - All Right Reserved.

Realizado com ❤ por Minha Paróquia

© All Right Reserved.

Realizado com ❤ por Minha Paróquia